Boletim Inverno / Versão 2013

haw
Boletim Essências Florais – Ano 1 – Edição nº 2 – Inverno
Neste boletim
Relato de um caso por Vera Gondim
Vivência com a Angelica
Transtornos de personalidade e a Terapia Floral – Entrevista com Dra Tereza Guimarães

 

Do Jardim da
Essências Florais
para você

 

Ian White no Brasil
A Natureza em Você
Por Cynthia Accioly Abu Asseff
 

 

No final de março, início da primavera no hemisfério norte, tive a chance de ir visitar a terra do Dr Bach!
Este último inverno  foi severo em toda Europa e prolongou-se, adentrando sem cerimônia as primeiras semanas da estação das flores. O manto branco e gelado tecido pela neve que ainda caia quase todos os dias, tornava as paisagens mágicas e misteriosas.
Passeamos também por regiões onde o verde dos campos e florestas já se impunha, oferecendo as primeiras flores da nova estação.

 

crocus

As belas e corajosas flores da Crocus tinham suas cores destacadas pelo fundo branco da neve dos arredores. Ver estes primeiros botões se abrindo foi como testemunhar a mãe natureza acordando,  espreguiçando, imprimindo movimento, graça, traduzindo em flores as bênçãos do Elemento Fogo. O calor que emana da Crocus traz acolhimento e seu floral (Purple Crocus das Essências do Pacífico) ajuda a encerrar um ciclo de profunda dor e pesar.

Mas minha busca era por outra flor! Eu sabia que mesmo nesses primeiros dias de primavera, depois de um prolongado inverno seria possível encontrar algumas plantas da Gorse em flor.

 

Seguimos de trem e de carro nos dirigindo para o norte e pedi ao Dr Bach que nos guiasse pelos melhores caminhos onde houvesse Gorse em flor!  
Gorse foi a décima terceira flor encontrada pelo Dr Bach. O ciclo de um ano inteiro (12 meses) já havia se completado em meu processo pessoal de cura e eu agora precisava da décima terceira flor para me ajudar a estar inteira e revitalizada para o novo tempo que se apresenta em minha vida, com fé, esperança e otimismo renovados.
Pela estrada eu via de longe algumas flores amarelas, mas sempre em lugares onde não era possível parar o carro…

 

 

gorse

Até que veio o esperado encontro! Achamos Gorse em flor, com seu amarelo dourado tão resplandecente que fazia parecer Verão!

 

Dizem que no Verão a flor da Gorse tem um aroma tão doce e forte que é quase insuportável, por isso o Dr Bach preferia preparar este floral no início da Primavera.
Em seus escritos Edward Bach sugere que as 7 essências florais que vieram a partir da décima terceira flor – Gorse -  poderiam tirar os indivíduos  sofredores de um estado de estagnação e impulsioná-los finalmente para uma atividade totalmente nova!
Era essa a medicina que eu ali buscava!

O primeiro impulso de criatividade, ainda em terras britânicas,  brotou espontâneo, com as bênçãos do Dr Bach a partir do meu encontro com a Gorse: foi a criação do novo slogan para a empresa, a Essências Florais! Em seus diferentes sentidos e interpretações esta frase simples evoca a ação dos florais, resgatando nossa conexão com a mãe natureza, o estado de unidade com o todo, que é a Cura em seu mais amplo e profundo sentido: Essências Florais – A Natureza em Você.

 

Gratidão imensa! E desde então, durante os últimos meses até os dias de hoje, realmente muita coisa nova temos criado e oferecido àqueles que procuram a Essências Florais precisando dos florais e de maior compreensão sobre esta modalidade de cura e transformação.Dentre outras coisas ressalto aqui a recente criação dos grupos/comunidades abertas na internet para uma troca viva de informações e experiências com os Florais da Califórnia, Florais do Bush Australiano, Essências do Alaska e Essências Florais e Marinhas do Pacífico.

Convido você também para vir fazer parte, aprender e contribuir nestes grupos abertos!

 

Veja aqui os links para cada um dos grupos:     

cy  

Cynthia Accioly Abu Asseff  

é terapeuta floral e educadora na área de estudos das essências florais; dirige a Essências Florais, importadora de florais e organizadora de eventos nacionais e internacionais sobre terapia floral. Professora convidada da Pós Graduação em Terapia Floral da Faculdade de Enfermagem da USP, coordena também os grupos de professoras autorizadas da Flower Essence Society e das Bush Flower Essences of Australia no Brasil

Gorse

 

Crédito das imagens:

Purple Crocus - http://www.mrwallpaper.com
Gorse – fotos de Cynthia Accioly Abu Asseff
No topo da página: Hawthorn dos Florais da Califórnia – fonte: Shutter Stock 

   

 

Um pedido a Aladim – Relato de um caso    

 

Verinha

Um Caso de Doença Autoimune – Por Vera Gondim 

 

 

Minha primeira pergunta ao Lucas, em nossa primeira sessão, foi:

 

-“Se eu desse a você uma lâmpada mágica de Aladim e sugerisse que fizesse um pedido, o que você pediria?”

 

-“Para comer mais coisas: verduras, legumes…”, ele me respondeu.

 

Considerei a resposta um tanto incomum para um menino de 11 anos de idade. E arrisquei outra pergunta:

 

-“Por que você gostaria de comer mais coisas ?”

 

Aí ele me respondeu de forma certeira:     

                

-“Para ficar forte.” Deu uma paradinha e completou baixinho: “Por dentro”.

 

Com essas palavras, compreendi toda a natureza de seu problema.

Foi Rose, uma tia e madrinha, quem o trouxe ao meu consultório. Segundo o médico, Reumatologista do Hospital Universitário do Fundão (UFRJ), o menino sofria de Esclerodermia – uma doença auto-imune – e sua taxa de leucócitos variava de acordo com sua condição emocional. Rose relatou que o médico havia explicado à família que este problema tinha um forte componente emocional e recomendado que se procurasse a golden Terapia Floral, que vinha apresentando muito bons resultados neste tipo de caso.

 

Devido à Esclerodermia, Lucas apresentava várias manchas na pele, na região da barriga e das pernas. As manchas eram escuras e com textura endurecida, como cascas grossas na pele. Segundo a avó, quando iniciamos o trabalho com os florais, a doença estava começando a atingir as mucosas (internalizando).

 

Em pequeno, quando cada pessoa querida saía de casa, Lucas somatizava e tinha febre. Era sempre “antenado” em tudo e se preocupava com todos. Não conseguia expressar emocionalmente o que sentia. A expressão acabava acontecendo através do corpo.

 

A mãe de Lucas era muito exigente com ele e costumava repetir que iria exigir notas boas, “mesmo que ele cubra o corpo todo de feridas”.

 

Lucas tinha medo do escuro, de cobra e de aranha (“sempre tive!”) e me pediu ajuda para ficar mais alegre. Considerava-se tímido (“tem coisa que eu tenho vergonha de falar quando tem muita gente em volta”).

Levou, feliz, seu primeiro vidrinho de floral. Ao retornar, ele mesmo se avaliou:

 

-“Eu estou bem, eu melhorei. Não estou mais estressando. Antes, quando eu pedia alguma coisa e ninguém queria fazer, eu ficava estressado. Outro dia, meu pai não fez o que eu pedi e eu nem fiquei estressado com ele … Reparei na hora ! Percebi também que estou rindo mais, que estou mais alegre. Sabe? Eu me sentia meio fraco por dentro. Não sei explicar. E agora estou me sentindo mais forte por dentro. Isso é ter mais coragem ? É isso, “coragem” é a palavra certa.”

 

À medida em que Lucas se fortalecia interiormente e aprendia a lidar com sua sensibilidade, começando a expressar suas emoções, demonstrava sentir-se mais seguro e menos vulnerável.

A redução de sua vulnerabilidade emocional parecia estar começando a se refletir no físico.

 

Segundo a mãe, o médico relatou que houve certa reversão da doença quando esta deixou de atingir as mucosas, ficando estacionária na parte externa do corpo. As manchas na barriga e na perna passaram a manter seu tamanho, interrompendo seu processo de expansão.

 

Expliquei a Lucas o funcionamento do seu sistema imunológico, usando a metáfora de um batalhão militar do Exército de um país. Mostrei a ele que, dentro do seu corpo, existem muitos agentes de defesa trabalhando incansavelmente a seu favor, mesmo quando dormindo. Mostrou-se confiante e repetiu algumas vezes que havia achado “muito legal” saber disso.

 

O reumatologista havia dito a ela que a imunidade do Lucas havia melhorado muito e recomendou que ele não parasse a Terapia Floral, ressaltando que seria “fundamental” para ele. Segundo o médico, os exames espelharam a melhora emocional obtida.

 

Em nosso encontro seguinte, a avó foi quem veio e relatou que o reumatologista havia dito que as manchas não só haviam estacionado em seu tamanho como também estavam, naquele momento, apresentando melhoras: estavam menos espessas, mais macias e de coloração mais clara. O médico reafirmou que o floral era essencial: era o que iria resolver a causa do problema, segundo a avó.

 

Lucas entrou em minha sala muito alegre, dizendo:

 

-“Eu estou muito bem. Estou mais light e menos preocupado. Estou levando as coisas de uma forma mais tranquila. Estou me sentindo mais forte por dentro e menos tímido. Antes eu era [tímido]. Agora não sou mais, e estou até perguntando mais na escola. Não sinto mais medo de dormir no quarto de fora da casa da tia Rose. Antes sentia”.

 

Voltei à conversa sobre o “batalhão interno” e sugeri que Lucas o estimulasse, dizendo que confiava nele e que sabia que poderia contar com ele para sua defesa. Expliquei que a Esclerodermia era uma forma que seu corpo havia encontrado para defender a grande sensibilidade que ele tinha e mostrei que, fortalecendo-se por dentro como estava fazendo, não iria mais precisar de “cascas” como defesa. Fiquei de conduzi-lo a uma conversa com este “batalhão” na sessão seguinte. Saiu todo animado.

Na sessão seguinte, entrou falando:

echinacea  

 

-“Acho que estou com mais segurança. Estou menos tímido. Só sei que estou falando mais. Não tenho mais medo de ficar sozinho num lugar que não conheço. Já acabou. Estou também menos briguento. Não fico mais magoado. Fico é com birra e não falo mais com aquela pessoa.” 

HURRA !!! Está começando a expressar seus sentimentos !

 

Lucas disse: “- Deu uma melhorada grande nas manchas. Totalmente. Aqui era tudo junto e agora separou tudo”, apontando para seu corpo, cujas manchas estavam se fragmentando.

 

Como ele passou a se sentir ? É ele mesmo quem vai dizer:

 

-“Estou mais animado. No colégio não estou ótimo, mas estou bem. A cabeça está no lugar agora. É que o colégio está difícil. O médico me disse que estou melhorando. Estou falando o que estou sentindo, até demais. Tô falando pra caramba !!! (sic) É bem melhor, bom demais. Eu me sinto mais leve. Estou bem fortão por dentro !”

 

O tratamento de Lucas prosseguiu, apresentando melhoras consideráveis, até que a família decidiu interrompê-lo, após cerca de um ano de trabalho.

*Os nomes mencionados acima são fictícios.

  As flores que aparecem nas fotos foram usadas na terapia floral de Lucas.

   

O artigo completo escrito por Vera Gondim, ilustrado com mais imagens, você pode ver clicando aqui.  

 

Vera Gondim 

Terapeuta Floral, Practitioner e Professora credenciada pela Australian Bush Flower Essences; Pós-Graduada em Terapia Floral pela UERJ/IBEHE; Professora do Curso de Pós-Graduação em Terapia Floral da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Coordenadora do Núcleo de Atendimento Popular em Terapia Floral da Pastoral da Saúde, da Ordem Franciscana de Petrópolis;   

Coordenadora do Grupo de Terapeutas Florais Voluntários de Petrópolis para Assistência aos Desabrigados da Enchente do Vale do Cuiabá em 2011.

contato: veragondim1@gmail.com 

  

        

Crédito das imagens:

Fringed Violet das Bush Essences da Austrália – foto de Ian White
Golden Yarrow dos Florais da Califórnia –
http://hitherandyarn.files.wordpress.com
Echinacea dos Florais da Califórnia- foto de Richard Katz  

 

 

Um encontro especial
ive

Por Ivelise Gianfaldoni

Conheci o floral Angelica num sonho. Não sabia que flor era e quando a descrevi pude identificá-la numa foto do kit de cards dos Florais da Califórnia. Assim começou minha relação com esta essência que tornou-se base em todas as composições que tomo.

 

Em junho de 2013, fiz parte do grupo que foi à Terra Flora, em Nevada City – Califórnia, para fazer um curso com Richard Katz e Patricia Kaminski. Sabia e esperava vivenciar muitas emoções, mas sem dúvida, foi junto do jardim das Angelicas que eu me encontrei. 

Num dos dias do curso, fomos separados em dupla e cada uma recebeu um dos óleos do kit Seasons of the Soul. A atividade consistia em fazer uma massagem nas mãos do seu parceiro com este óleo, se envolver nesta ação e perceber esta troca. Minha parceira, além de terapeuta floral há alguns anos, é acupunturista, e eu uma aprendiz dos florais… 

Sentamos muito próximas ao jardim das Angelicas, ela começou a massagem em minhas mãos, com toda habilidade que possui e neste momento, comecei a questionar o que eu faria. Não era justo com ela, que tanto estava me dando, não receber nada.

 
Foi com esta dúvida e insegurança no meu coração, que senti que aquelas flores saíram do seu lugar, fizeram um círculo em volta de nós duas e imediatamente se transformaram em
angelica lindos seres, brancos, altos, cheios de luz e me disseram: “Faça do seu jeito. Você tem toda a proteção que precisa, apenas acredite e, faça do seu jeito!”

 

Chegou minha vez de retribuir a massagem, mas lembrando da orientação da Angelica, enviei uma energia de amor e toquei as mãos de minha parceira fazendo carinho. 

Quando terminamos, ela me disse que em sua vida profissional, ela toca muitas pessoas, mas que neste exercício, ela havia sido tocada. 

Este foi um encontro especial. Um encontro com a Angelica dos meus sonhos. Um encontro comigo mesma neste caminho da terapia floral.

   

Ivelise Gianfaldoni,  

trabalha na Essências Florais cuidando da área de marketing e de eventos.  

Ela tem se dedicado ao estudo dos florais e da terapia floral e teve uma verdadeira iniciação

neste curso na Terra Flora, Califórnia, com Richard Katz e Patricia Kaminski,  

produtores dos Florais da Califórnia.

contato: ive@essenciasflorais.com.br

Crédito das imagens:

Fotos de Cynthia Accioly Abu Asseff

Transtornos da Personalidade e a Terapia Floral
Entrevista com Dra
Tereza Machado Guimarães
Tereza

Dra Tereza Guimarães concedeu esta entrevista à Cynthia Asseff para o Boletim da Essências Florais.

 

Graduada em medicina, com especialização em Saúde Mental; Homeopata e docente da Associação Pernambucana de Homeopatia. Terapeuta Floral, com certificado internacional de Flower Essence Practitioner e professora autorizada da Flower Essence Society dos Florais da Califórnia no Brasil. É também uma das fundadoras e mantenedoras do Grupo de Estudos em Florais Terra Brasilis e do Centro Logos que desde 1992 apresenta-se como um espaço para a prática clínica, desenvolvimento, estudo e intercâmbio entre as diversas linhas de cuidados à saúde e educação. Tereza Guimarães vive na bela Recife, Pernambuco.

 

EFO que são considerados Transtornos da Personalidade?

Dra Tereza - Os transtornos da personalidade correspondem a um hiato na abordagem de cuidados a saúde psíquica. Localizada a meio caminho entre os transtornos de ansiedade e as psicoses, são conceitualizados em Saúde Mental como um conjunto de sintomas afetivos, comportamentais e cognitivos contínuos e inflexíveis que, regra geral, não são percebidos pela pessoa, sendo considerados por elas aceitáveis e naturais. Em geral a queixa é projetada sobre os outros ou sobre o sistema, considerando-se vitimizadas por eles.

 

EF- Porque as essências florais são, em sua visão, tão relevantes na terapia de indivíduos com transtornos de personalidade, especialmente os Florais do Bush Australiano?  

Dra Tereza -Os Florais do Bush Australiano me chamaram particularmente a atenção porque algumas essências são descritas por Ian White com quadros típicos daqueles que são enumerados como transtornos da personalidade.

Compreendo as essências florais como educadores de nossos sistemas de informação. Quando digo isso, faço um paralelo de forma didática, entre o que chamamos de sistemas de energia versus sistemas de informação. Sistemas de energia lidam com vitalidade na integração do eixo corpo/alma/espírito. Sistemas de informação lidam com a linguagem universal do alinhamento de todas as coisas. Basicamente, os transtornos de personalidade estão relacionados ao conjunto de experiências ocorridos na infância e adolescência que configuraram uma linguagem, um gestual, que chamaremos de crenças e valores, resultantes do mal ajuste das estratégias de adaptação, sejam elas afetivas,comportamentais, cognitivas ou …espirituais.
Segundo Aaron Beck e col (2005), em seu livro Transtornos da Personalidade, a personalidade é uma organização estável, constituída segundo sistemas e modos, ao que chamamos de linguagem. Esses sistemas, ou linguagem, são responsáveis por uma construção que têm duas polaridades: uma positiva e outra negativa. Quando há uma polaridade negativa, por ex. na depressão, onde os esquemas de baixa estima e pensamento fatalista estão em ascendência, os esquemas ou polaridade positivo, responsáveis por um processamento cognitivo normal, estão inibidos.
Neste resgate da polaridade positiva, recorremos dos processos de atuação da terapia floral, com a reeducação desta linguagem da alma. Na terapia Floral, a atenção é voltada para esta polaridade positiva, despertando um nível crítico consciente, uma nova linguagem, quanto as crenças e valores referentes a experiências vividas no momento e no passado. 

EF- Por favor, dê um exemplo de um floral das Bush Essences, ilustrando esta sua abordagem:

Dra TerezaTeria vários a citar, mas trago a descrição da Rough Bluebell (trichodesma zeylanicum), pois se trata de um tema muito atual na mídia – as condutas relacionadas a um padrão global de desrespeito e violação dos direitos alheios.

A Rough Bluebell é um arbusto típico de habitats secos, e pertence à família das boragináceas, onde encontramos muitas flores azuis. A vibração do azul na escala cromática, está muito próxima dos raios ultra-violetas. Estudando os centros de energia do corpo (chackras), aprendemos que a emissão de tom azul esta relacionada ao chackra laríngeo, portal para o mundo espiritual.

A essência floral da Rough Bluebell educa a alma na linguagem da libertação dos espaços escuros da psique. Promove luz na consciência, combatendo a ignorância espiritual erough permitindo a fusão com a suprema equanimidade universal. Essa escuridão psíquica conduz a comportamentos maliciosos e violentos contra os demais. Presas a condutas manipuladoras e insensíveis, facilmente se envolvem com o mundo do crime. Não reconhecem seus atos hediondos, e são capazes de repeti-los de forma fria e deliberada, sem remorsos. Esta descrição da Rough Bluebell traduz aspectos do transtorno de personalidade anti-social, e descrevê-lo aqui, seria repetir a descrição da essência floral.

EF- Que tipo de melhora você tem registrado cuidando de seus clientes com transtornos de personalidade usando as essências florais?

Dra Tereza - Esta é uma pergunta importante para mim. Hoje meu trabalho está focado nos padrões de aprimoramento pessoal, portanto, atendo pessoas interessadas no aprendizado desta nova linguagem promovida pelos florais e pela homeopatia. Acompanho pessoas que estão em uso de medicamentos alopáticos e que permanecem vinculados aos seus médicos de origem, e percebo que as essências florais colaboram na reeducação desta linguagem da alma, resultando numa redução significativa das medicações, na construção de novos projetos de vida, num melhor enfrentamento das situações e na suavização de condutas impulsivas, entre outras. Faço uma ressalva, a terapia floral tem uma atuação e linguagem próprias e não deve em tempo algum, substituir condutas médicas ou psicológicas. Compreendo que todos os caminhos são diferentes e complementares, e não devemos estancar jamais numa conduta simplista de cuidados, seja ela qual for.

 

Para entrar em contato com a Dra Tereza Guimarães: terezaguimaraess@yahoo.com.br

www.centrologos.com.br

   

   

 

Rough Bluebell Trichodesma zeylanicum

Família Botânica: Boraginaceae

Resultados Positivos: Compaixão, liberação da vibração de amor que é inerente

à pessoa, sensitividade.

Condições Negativas: Ferindo os outros deliberadamente, manipulativo, aproveitador ou malicioso.

Informações colhidas do website da Essências Florais: www.essenciasflorais.com.br

 

Crédito das imagens:
Rough Bluebell – foto de Ian White
Promoção do floral Com Sucesso

Fale conosco
logo

Essências Florais                                              
Rua Álvaro Rodrigues, 416 – casa 1 – Brooklin
04582-000 – São Paulo – SP
11 5531-7518
Forward email

 

Este email foi enviado para cynthiaqa@yahoo.com, por info@essenciasflorais.com.br |
Essências Florais | Rua Álvaro Rodrigues, 416, casa 1 | São Paulo | SP | 04582 001 | Brazil