Ver Galeria

Solstice Sun – Alaska

Qualidades resumidas: Essa essência foi preparada em uma noite em 21 de Junho de 1987, quando o sol da meia-noite percorria os Picos da Cadeia Brooks, no interior norte do Alaska. Essa essência ajuda a criar e manter um canal dentro do fluxo livre de luz e energia; para abrir-se e integrar experiências de picos (experiências extremas).

A essência Solstice Sun contém a energia do pôr e do nascer do sol, uma integração do antigo que se completou e do novo ciclo de luz que se inicia. Solstice Sun é uma essência de muita transformação e pode ter um efeito poderoso em nossa habilidade de acessar e de movimentar energias através do nosso corpo físico. É muito indicado para quem sofre de privação da luz, doença também conhecida como síndrome de perturbação sazonal.

Origens: Essência preparada durante as primeiras horas da manhã dos dias 21 e 22 de junho, enquanto o sol da meia-noite dançava pelos picos da cordilheira de Brooks no interior norte do Alasca. A área de preparação da essência, às margens do rio Koyukuk,  fica a 50.000 km ao norte do Círculo Ártico, onde é dia constante no período que vai de abril até o fim de agosto. No solstício de verão, o dia mais longo do ano, o sol baixa muito pouco por trás dos picos das montanhas, nunca desaparecendo por completo.

Esta essência age abrindo nossos corações e os condutos energéticos em nossos corpos de modo que possamos receber mais luz e fazer uso mais eficiente da energia contida nela. Esta expansão em nossa capacidade de nos abrirmos para deixar entrar a luz e a energia em nossos corpos também é útil quando precisamos nos preparar para uma experiência que vá exigir muito de nós – um tipo de experiência que nunca tenhamos tido antes ou que antes nos desafie a expandir os parâmetros atuais de nossa identidade.

Solstice Sun é uma essência para a integração. Quando é tomada durante uma experiência muito estressante ou que mude nossa vida, age no nível elemental para expandir o sistema de energia da pessoa, de modo que ela possa absorver a plenitude do evento à medida que ele se desenrola. Desta forma, a pessoa é capaz de integrar os diversos aspectos da experiência enquanto ela ainda está dentro da matriz energética ou ambiental que esteja criando esta experiência.